Moçambique registou a quinta morte e 45 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de 688 para 733, anunciou este domingo o Ministério da Saúde moçambicano. A vítima, de 38 anos, estava internada no Centro de Isolamento da Polana Caniço, na cidade de Maputo, e morreu no dia 18 de junho, disse Armindo Tiago, ministro da Saúde de Moçambique, durante a atualização de dados sobre a pandemia em Maputo.

“O paciente deu entrada no Hospital Central de Maputo e foi posteriormente transferido para o Centro de Isolamento, em princípio com sintomatologia de insuficiência respiratória grave”, declarou Armindo Tiago, acrescentando que a vítima possuía outras patologias.

Tratava-se de um individuo com várias outras doenças. “E, sobretudo, com interrupção de tratamento de parte das condições que o obrigaram a ir ao hospital”, avançou o governante.

Além do novo óbito, que eleva o total para cinco mortos devido ao novo coronavírus, nas últimas 24 horas, o país registou mais 45 casos positivos de covid-19, dos quais 41 são de cidadãos moçambicanos e quatro são estrangeiros.

Os 45 novos doentes, dos quais três são menores de 14 anos, foram registados nas províncias de Maputo (08), Nampula (06), Zambézia (01), Cabo Delgado (22), Gaza (01) e cidade de Maputo (07).

“Dos casos que nós reportamos, 24 são pessoas do sexo masculino e 21 são do sexo feminino. Eles encontram-se em isolamento domiciliar e decorre neste momento o mapeamento da rede de contacto destas pessoas”, acrescentou.

O Ministério da Saúde indicou ainda que 181 pessoas estão recuperadas.

Dos casos já registados em Moçambique, 663 são de transmissão local e 70 são importados, havendo também nove pessoas internadas, além dos cinco óbitos.

As províncias de Nampula, Cabo Delgado e cidade de Maputo lideram com o maior número de casos ativos no país, com 218, 125 e 75, respetivamente, estando os restantes distribuídos pelo país.

Desde o anúncio do primeiro caso em Moçambique, em 22 de março, foram feitos 23 .760 testes e foram submetidas a quarentena cerca de 19 mil pessoas das mais de um milhão rastreadas.

Um total de 2.600 pessoas continuam a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde moçambicanas.

Em África, há 7.925 mortos confirmados em mais de 297 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções e de mortos (1.664 casos e 32 mortos), seguida da Guiné-Bissau (1.541 casos e 17 mortos), Cabo Verde (863 casos e oito mortos), São Tomé e Príncipe (693 casos e 12 mortos) e Angola (176 infetados e nove mortos).

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de infetados e de mortos (mais de um milhão de casos e 49.976 óbitos), depois dos Estados Unidos

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 464 mil mortos e infetou mais de 8,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.