A polícia brasileira realizou este domingo uma operação contra três grupos extremistas que apoiam o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e que são investigados por liderar atos antidemocráticos nas últimas semanas, informaram fontes oficiais.

A operação cumpriu mandados de busca numa quinta em Brasília, considerada a sede dos grupos “QG Rural”, “300 do Brasil” e “Patriotas”, compostos por militantes do Governo de Bolsonaro, explicou a Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (CECOR) da Polícia Civil do Distrito Federal.

Os três grupos são investigados por terem liderado manifestações antidemocráticas nos últimos dias e simulado ataques com fogo de artifício no edifício da Supremo Tribunal.

Além disso, a polícia está a investigar “alegados crimes de milícias privadas, ameaças e posse de armas”.

Na operação, foi apreendido material de fogo de artifício, planos de ações e notas para discursos, telemóveis, uma faca, um cofre e outros materiais destinados a manifestações.

A operação realizou-se antes do início dos protestos convocados por grupos a favor e contra o Governo de Bolsonaro, que têm ocupado as ruas de diversas cidades nas últimas semanas.

Os protestos decorrem num momento em que Bolsonaro enfrenta a pior crise desde o início do seu Governo, em janeiro de 2019, com investigações judiciais que envolvem a sua família e o próprio.