O endividamento do setor não financeiro aumentou em abril para 736,3 mil milhões de euros, mais 11,3 mil milhões de euros do que em março, de acordo com dados esta terça-feira divulgados pelo Banco de Portugal (BdP).

Do endividamento de 736,3 mil milhões de euros do setor do não financeiro (setor público e privado, excluindo empresas financeiras, como bancos) em abril, 330,4 mil milhões de euros eram referentes ao setor público e 405,9 mil milhões de euros ao setor privado.

Face a março de 2020, o endividamento do setor não financeiro aumentou 11,3 mil milhões de euros, uma subida que resultou dos “acréscimos de 8,0 mil milhões de euros do endividamento do setor público e de 3,3 mil milhões de euros do endividamento do setor privado”, segundo o BdP.

O banco central refere que a subida do endividamento do setor público “refletiu-se sobretudo no acréscimo do endividamento face ao exterior (4,1 mil milhões de euros) e face ao setor financeiro (3,1 mil milhões de euros)”.

Já no setor privado, o endividamento das empresas face ao setor financeiro aumentou 3,4 mil milhões de euros, tendo este acréscimo sido “ligeiramente compensado pela diminuição do endividamento dos particulares face ao setor financeiro”.