A Assembleia da República (AR) aprovou esta terça-feira um voto de pesar pela morte do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia, a 25 de maio passado, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte parlamentar.

Segundo Sérgio Sousa Pinto, deputado do Partido Socialista (PS, no poder), o voto foi aprovado “por unanimidade” pelos membros da Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, a que preside, e que se reuniu esta terça-feira, depois de consensualizadas as várias propostas apresentadas.

“A Assembleia da República manifesta o seu mais sentido pesar pelo homicídio de George Floyd e condena todos os atos e manifestações de racismo, onde quer que eles se verifiquem, transmitindo, ainda, as suas condolências aos familiares da vítima e ao povo norte-americano”, lê-se no documento.

George Floyd, um afro-americano de 46 anos, morreu a 25 de maio, em Minneapolis (Minnesota), depois de um polícia branco lhe ter pressionado o pescoço com um joelho durante cerca de oito minutos numa operação de detenção, apesar de Floyd dizer que não conseguia respirar.

Desde a divulgação das imagens nas redes sociais, têm-se sucedido os protestos contra a violência policial e o racismo em dezenas de cidades norte-americanas, algumas das quais foram palco de atos de pilhagem.

Os quatro polícias envolvidos foram despedidos, e o agente Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço de Floyd, foi acusado de homicídio em segundo grau, arriscando uma pena máxima de 40 anos de prisão.

Os restantes vão responder por auxílio e cumplicidade de homicídio em segundo grau e por homicídio involuntário.

A morte de Floyd ocorreu durante a sua detenção por suspeita de ter usado uma nota falsa de 20 dólares (18 euros) numa loja.