Os escândalos na família real espanhola parecem não ter fim. Depois de vir a público que a viagem de lua de mel de Felipe IV e Letizia Ortiz foi paga praticamente a meias pelo rei Juan Carlos I de Borbón e pelo empresário catalão Josep Cusí, foi agora revelado que o planeamento dessa lua de mel foi encomendado pelo rei a Corinna Larsen, sua ex-amante, avançou o jornal El Español.

Quando decidiu pagar a milionária lua de mel de Felipe, que em março renunciou à herança do pai, Juan Carlos confiou a tarefa à sua ex-amante, que trabalhava na cozinha da Casa Real. “Ela mal dormiu. Não largava os dossiês da viagem e estava muito preocupada com o facto de algo vir a público. Mais tarde, ela explicou o quão difícil tinha sido organizar uma viagem como esta, por todo o mundo e em contacto com embaixadas, sem que se soubesse de nada”, avançou a Vanity Fair, citada pelo El Español.

Segundo o jornal, Corinna fez o registo das reservas para Felipe e Letizia sob o pseudónimo “Smith”, nome que chamava ao rei Juan Carlos.

Em março deste ano, Felipe renunciou a qualquer futura herança a que tenha direito do rei. Em causa estavam supostas irregularidades financeiras e uma doação de 65 milhões de euros.

Rei de Espanha renuncia à herança do pai e retira-lhe a pensão

A lua de mel do agora rei de Espanha começou depois de o casal ter participado num casamento real na Jordânia. Após a cerimónia, Felipe e Letizia viajaram para o Camboja, passando pelas ilhas Fiji, por Samoa, Califórnia e México. Ambos identificaram-se como Sr. e Sra. Smith nos registos dos hotéis por onde passaram ao longo de cerca de três meses. Os detalhes da viagem que custou quase meio milhão de euros foram envoltos em segredo e mantidos longe da imprensa espanhola, mas vieram agora a público.

Lua de mel de Felipe VI e Letizia custou quase meio milhão de euros e foi paga por Juan Carlos e um amigo deste