O primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong, convocou esta terça-feira eleições antecipadas no país com objetivo de obter um novo mandato, apesar da pandemia do novo coronavírus, que causa a doença Covid-19.

“A alternativa é aguardar o fim da pandemia de Covid-19, mas não temos garantia de que a pandemia termine antes do fim do mandato deste governo, em abril próximo, e foi por isso que decidi realizar agora a eleição geral”, afirmou o primeiro-ministro de Singapura.

Lee disse, num discurso transmitido pela televisão, que aconselhou o Presidente do país a dissolver o parlamento.

O primeiro-ministro declarou que uma eleição neste momento, em que as coisas são relativamente estáveis, dará ao novo governo um mandato completo de cinco anos.

O anúncio ocorre dias depois de Singapura suspender a maioria das restrições relacionadas ao combate ao novo coronavírus.

Lee afirmou que as infeções nos dormitórios usados por trabalhadores estrangeiros que causaram o aumento para mais de 42.000 casos já estão a cair, enquanto os casos fora dos dormitórios estão estabilizados.

O primeiro-ministro disse que decidiu realizar eleições agora porque não há garantia de que a pandemia termine no próximo mês de abril, quando termina o atual mandato do governo.

Singapura já registou mais de 42 mil casos de Covid-19, além de contabilizar 26 mortes e 35 mil recuperados.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 469 mil mortos e infetou mais de nove milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.