Ainda grandemente confinado, em Maio, o mercado automóvel francês continuou a ressentir-se em termos de vendas, com o volume de veículos transaccionados a cair praticamente 50%, se considerarmos todos os tipos de combustíveis. Isolados os modelos 100% eléctricos, é possível verificar que o seu desempenho foi muito melhor, com a procura a aumentar 50%, permitindo a este tipo de solução tecnológica representar 4,3% do total de vendas.

Se a procura total caiu (como se esperava) e a performance dos veículos eléctricos foi francamente superior em relação à média do mercado, como vem sendo hábito desde que se instalou a pandemia, quem surpreendeu pelo crescimento das vendas foram os veículos com mecânicas híbridas plug-in (PHEV), em que o motor eléctrico ajuda a unidade de combustão, possuindo a possibilidade de percorrer pelo menos 50 km em modo eléctrico. Durante Maio, transaccionaram-se em França 3056 PHEV, 3,2% do mercado e mais 134% do que em período homólogo de 2019. A liderança pertenceu ao DS 7 Crossback (com 313 unidades), à frente do Peugeot 3008, Mercedes GLC, Ford Kuga, Volvo XC60, Porsche Cayenne, Mini Countryman, BMW X3, BMW X5 e Peugeot 508.

3 fotos

Entre os veículos eléctricos, a Renault liderou confortavelmente, ao transaccionar 1165 unidades do Zoe, à frente dos 679 Peugeot e-208, 351 Hyundai Kauai, 247 Citroën C-Zero, 219 Tesla Model 3, 205 Kia Niro, 191 Mini Cooper SE, 151 Peugeot e-2008, 122 BMW i3 e 113 Nissan Leaf. Se considerarmos os veículos eléctricos comerciais, o Renault Zoe foi o mais vendido (148), seguido do Renault Kangoo (128), do Nissan e-NV200 (35) e Citroën Berlingo (29).

Nos primeiros cinco meses do ano, os PHEV são os veículos que mais sobem nas vendas (99%), seguidos dos modelos exclusivamente eléctricos (89%) e dos comerciais eléctricos (30%).