A maioria dos portugueses está a par das regras de utilização das praias, mas poucos são aqueles que acreditam que a época balnear vai correr bem, conclui o estudo realizado pela empresa de estudos de mercado online Netsonda.

O estudo “Os Portugueses e a Pandemia”, que acompanhou ao longo de 13 semanas os comportamento e as perceções dos portugueses perante a pandemia de Covid-19, revela que “85% dos portugueses conhece as regras que vão ditar a utilização das praias durante a época de balnear” e 2 em cada 3 dos inquiridos concordam com as regras impostas.

Mas apenas 22% dos portugueses acredita que a utilização das praias vai correr bem.

As conclusões avançadas pela empresa foram recolhidas através de um inquérito online que contou com 1.375 entrevistas a uma amostra representativa da população portuguesa dos 18 aos 64 anos.

Só 38% dos inquiridos é que evita sair de casa

A Netsonda monitorizou também os portugueses durante a fase de desconfinamento, registando que “vários sectores económicos estão a voltar ao normal”, o que se traduziu numa descida do número de indivíduos que evitam sair de casa que ronda agora os 38%. Na última semana de maio o valor ficava pelos 50%.

Nesta última semana, 81% dos trabalhadores portugueses afirmaram já estarem a receber o seu ordenado ‘normal’,
uma subida acentuada face às semanas anteriores.

Já os portugueses que evitam sair de casa ocupam a maior parte do tempo livre a ver filmes ou séries, a organizar e limpar a casa, nas redes sociais ou a cozinhar.

Entre os 70% que indicam que ocupam o tempo livre a ver filmes e séries, ocupam lugar de destaque os jovens dos 18 aos 24 anos.

O estudo verificou ainda que, durante o encerramento dos centros comerciais, “assistiu-se a um crescimento elevado das compras em lojas de bairro”. No entanto, a compra neste tipo de lojas tem vindo a decrescer com o desconfinamento. Cerca de 35% fez compras em lojas de bairro na última semana, o que representa uma redução de 7 pontos percentuais face às semanas anteriores. E 19% dos portugueses afirmam que na última semana visitaram um centro comercial.