Hashim Thaci, o presidente do Kosovo, foi indiciado por 10 crimes de guerra e contra a humanidade, incluindo o o homicídio de 100 pessoas, anunciou esta quarta-feira o procurador especial das Câmaras de Especialistas do Kosovo, uma instituição sediada em Haia, Países Baixos.

O comunicado indicia o líder do Kosovo por “homicídio, desaparecimento forçado de pessoas, perseguição e tortura”: “Os alegados crimes na acusação envolvem centenas de vítimas conhecidas do Kosovo albanês, sérvio, cigano e outras etnias e incluem opositores políticos”, diz o documento.

A acusação foi feita a 24 de abril, mas “o procurador especial considerou necessário emitir este aviso público de acusações” dois meses depois por causa dos “esforços repetidos de Hashim Thaci e Kadri Veseli para obstruir e prejudicar o trabalho da Câmaras de Especialistas do Kosovo”.

Kadri Veseli é o ex-presidente da Assembleia do Kosovo e do Serviço de Espionagem do país. Atalmente é também o líder do maior partido no governo, o Partido Democrata do Kosovo, e um dos fundadores e líder do Exército de Libertação do Kosovo.

Segundo a Câmaras de Especialistas do Kosovo, há suspeitas que ele e Hashim Thaci “tenham campanha secreta para anular a lei que cria o Tribunal e obstruir o trabalho do Tribunal na tentativa de garantir que assim não teriam de enfrentar a justiça”, colocando “os seus interesses pessoais à frente das vítimas dos crimes, do Estado de direito e de todo o povo do Kosovo”.

Esses crimes terão sido cometidos durante a guerra de independência do Kosovo da Sérvia em 1998 e 1999. Mais de 100 pessoas foram entrevistadas e interrogadas pela Procuração-Geral, incluindo ex-membros do Exército de Libertação do Kosovo e ex-guerrilheiros que conquistaram lugares de topo na política kosovar. Entre eles está Ramush Haradinaj, ex-líder do Exército que renunciou ao cargo de primeiro-ministro do Kosovo depois de ser convocado.

O anúncio surge em vésperas de um encontro na Casa Branca entre o presidente norte-americano Donald Trump, o homónimo kosovar Hashim Thaci e o presidente sérvio Aleksandar Vucic, que acontecerá no sábado.