Vários trabalhadores do Hotel Beta Porto, do grupo hoteleiro português Belver, realizaram esta sexta-feira uma ação de protesto à porta daquela unidade hoteleira para reivindicar salários em atraso referentes aos meses de março, abril e maio.

“A empresa não paga os salários de março, abril e maio. Três meses de salário em atraso. Uma situação completamente incompreensível na medida em que o hotel sempre ocupou muito bem, tem uma ocupação de 80%, 90% durante grande parte do ano e, portanto, neste momento os trabalhadores suspenderam contrato. Estão numa situação muito difícil”, explicou à Lusa Francisco Figueiredo, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte (STIHTRSN).

Segundo Francisco Figueiredo, há 22 trabalhadores no hotel Beta do Porto que não recebem salário há três meses e que foram obrigados a suspender o contrato de trabalho, para poder receber algum dinheiro, enquanto esperam que o hotel reabra.

“Os trabalhadores têm direito, quando os salários não são pagos pontualmente, de suspender o contrato e passam a receber um subsídio equivalente ao subsídio de desemprego”, acrescentou Francisco Figueiredo, lamentando que o hotel continue encerrado.

A cadeia hoteleira tem mais quatro hotéis em Portugal, designadamente o Hotel Príncipe Real, em Lisboa, Hotel da Aldeia e Boa Vista Hotel & Spa, ambos em Albufeira, no distrito de Faro, e o Porto Dona Maria Golf & Resort, em Lagos, distrito de Faro.

A Lusa contactou o grupo Belver Hotels & Resorts, mas sem sucesso até ao momento.

A pandemia de Covid-19 já provocou quase 487 mil mortos e infetou mais de 9,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.555 pessoas das 40.866 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.