Uma mulher, de 82 anos, é a terceira vítima mortal do surto de Covid-19 detetado, na semana passada, num lar de terceira idade de Reguengos de Monsaraz.

A vítima encontrava-se internada no Hospital do Espírito Santo, em Évora, onde permanecem internados outros 11 infetados do surto do lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, um deles na Unidade de Cuidados Intensivos, revelou a Câmara Municipal. Em comunicado divulgado esta manhã, com o ponto de situação de todos os dados conhecidos até ao final de sábado, o município explicou que, 10 dos 11 doentes internados são utentes do lar.

Além disso, “aguardam, neste momento, decisão de internamento mais três utentes” da mesma instituição, onde, no dia 18 deste mês, surgiu o foco da doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, acrescentou a autarquia.

Segundo o comunicado , o surto de covid-19 já infetou 131 pessoas em Reguengos de Monsaraz, das quais 128 são casos ativos, 93 deles entre utentes (71) e funcionários (22) do lar e 35 na comunidade.
Perante este cenário, segundo avança a RTP notícias, estão suspensas até 10 de julho as férias dos profissionais de saúde no Alentejo.

O presidente da câmara, José Calixto, em declarações aos jornalistas ao longo do dia, ressalva que os cinco novos casos conhecidos são pessoas da comunidade e não do lar de idosos. Dessas, quatro já se encontravam em confinamento devido às medidas de prevenção localizadas que a câmara implementou nos últimos dias (incluindo o encerramento das creches e jardins de infância) — estratégia que o autarca descreve como estando a revelar-se “acertada”.

Surto em lar de Reguengos de Monsaraz pode já estar na comunidade

Só uma das pessoas agora infetadas não se encontrava em confinamento. “Esse caso deu origem a uma série de contactos que esta manhã estão a fazer testes, sem sintomatologia relevante“, acrescentou José Calixto.

O surto apareceu no dia 18 de junho, quando foi detetado no lar de Reguengos de Monsaraz o primeiro caso positivo de Covid-19. Na sequência desse caso, a instituição começou a testar todos os 105 funcionários e 83 utentes do lar. Até agora, os testes já permitiram identificar um total de 128 casos positivos, incluindo 71 utentes do lar e 22 funcionários.

Os restantes casos detetaram-se em pessoas da comunidade, para onde o vírus entretanto se propagou. Embora no interior do lar de idosos o surto pareça estar já controlado, é agora entre a população do concelho que o vírus se está a propagar mais rapidamente. Para evitar o contágio, a autarquia decidiu aplicar medidas excecionais, incluindo o encerramento das creches e jardins de infância.

Portugal tem mais 323 casos e seis mortos por Covid-19

No boletim divulgado este sábado pela Direção-Geral da Saúde, surge a referência a 115 casos de Covid-19 no concelho de Reguengos de Monsaraz, menos 14 casos do que o anunciado pelo presidente da autarquia. O desfasamento entre os números de casos por concelho divulgados pela DGS e as informações divulgadas pelos autarcas tem sido frequente e deve-se a atrasos na inclusão dos resultados de todos os testes no sistema informático usado para recolher os dados.

Comparando com o total da população do concelho — os últimos dados disponíveis, dos censos de 2011, apontam para 10.828 habitantes —, conclui-se que o número de infetados corresponde a cerca de 1,2% dos habitantes do concelho de Reguengos de Monsaraz.

Segundo o comunicado , o surto de covid-19 já infetou 131 pessoas em Reguengos de Monsaraz, das quais 128 são casos ativos, 93 deles entre utentes (71) e funcionários (22) do lar e 35 na comunidade, tendo falecido três utentes da instituição de apoio à terceira idade.