Nove soldados nigerianos e dois membros de uma milícia de autodefesa foram mortos no sábado, num alegado ataque jihadista ocorrido no nordeste da Nigéria, foi este domingo anunciado.

Segundo a agência France-Presse (AFP), combatentes identificados como membros do grupo jihadista Boko Haram abriram fogo e lançaram granadas sobre um comboio civil de 100 veículos, protegido pelo exército nigeriano, na aldeia de Komala, na estrada entre Damboa e Maidiguri, capital do estado de Borno.

A localidade de Damboa fica na orla da floresta de Sambisa, um enclave onde os combatentes do Boko Haram’pertencentes à fação de Abubakar Shekau se refugiaram e de onde lançam os seus ataques.

“Nove soldados e dois membros das milícias civis que combatem o Boko Haram com o exército nigeriano foram mortos neste ataque, que ocorreu no sábado por volta das 13h30” (12h30 GMT), afirmou à AFP sob anonimato, um oficial do exército nigeriano.

Vários civis ainda estão desaparecidos sem que se saiba se foram mortos ou sequestrados pelos agressores. “Foi uma emboscada contra esse comboio civil, escoltado por tropas militares e milícias”, acrescentou.

As estradas do estado de Borno estão quase todas fechadas por razões de segurança e os camiões ou carros e veículos de transporte público podem transitar apenas em determinados dias, sob proteção militar.

Os combatentes apreenderam vários veículos e saquearam a comida transportada nos camiões, tendo depois fugido para a floresta Sambisa, disse um dos chefes da milícia civil, Ibrahim Liman.

Nas últimas semanas, houve um aumento dos ataques jihadistas nesta região, que voltam a atingir mais civis, depois de vários meses nos quais os alvos eram principalmente militares.