O California Air Resources Board (CARB) detém um poder que coloca todos os fabricantes de veículos em sentido. Assumindo-se como um estado demasiado grande para poder ser menosprezado, para mais com um generoso poder de compra, a Califórnia é conhecida por usar o seu poder para forçar os fabricantes a conceberem veículos menos poluentes. No passado obrigou à introdução de automóveis híbridos e eléctricos, caso as marcas quisessem vender as versões mais poluentes, exclusivamente com motores de combustão. Agora prepara-se para adoptar a mesma estratégia para obrigar à produção e utilização de camiões movidos por motores eléctricos.

O CARB aprovou, no final da passada semana, a nova regulamentação para os camiões eléctricos, a primeira do género em todo o globo, com este estado do Oeste americano mais uma vez a marcar o rumo. O objectivo é forçar os fabricantes a trocar os motores diesel dos seus veículos pesados por motores eléctricos, sejam eles alimentados por bateria ou por energia eléctrica produzida a bordo, através de células de hidrogénio.

A medida não abrange exclusivamente os camiões, incluindo igualmente os furgões comerciais, cuja oferta com motorização eléctrica é já substancialmente superior à dos veículos pesados. A finalidade do CARB é que, a partir de 2024, ou seja, dentro de apenas quatro anos, todos os fabricantes arranquem com a oferta de veículos eléctricos comerciais pesados e ligeiros, oferecendo depois 20 anos de adaptação até tornar obrigatório que todos dependam exclusivamente de energia eléctrica em 2045.

A chairman do CARB, Mary Nichols, admite que “os veículos pesados são o cavalo de batalha da nossa economia, mas são igualmente uma das grandes fontes de poluição”, pelo que urge encontrar uma solução e nunca haverá ar limpo sem a contribuição de veículos pesados com zero emissões.

Ainda segundo o CARB, os camiões, porque trabalham em alguns casos 24 horas por dia, são responsáveis por 70% do smog que causa poluição sobre o estado californiano e de 80% do smog que provoca resíduos cancerígenos. Isto apesar de apenas existirem cerca de 2 milhões de veículos pesados na Califórnia, uma pequena gota entre os mais de 30 milhões de veículos registados no estado. Com a medida agora anunciada, o governo local estima que deverão existir 300.000 veículos pesados eléctricos a circular em 2035.

Se o CARB pretende realizar um combate sério à poluição, deverá concentrar-se igualmente nos comboios, dado o transporte ferroviário ser o outro grande pilar do transporte de mercadorias. Sucede que se nos EUA apenas 1% dos comboios recorrem a locomoção eléctrica, esta média dispara para cerca de 60% na Europa e praticamente 70% em países como Portugal. Se tivermos em conta que também os comboios raramente param e que necessitam de 11545 litros de gasóleo para deslocar 3000 toneladas durante 804 km, é fácil de perceber a dimensão do problema, especialmente num país em que a principal cidade da costa Oeste está separada pela sua congénere da costa Este por cerca de 4500 km.