Não é vulgar ver os Bugatti em pista, a menos que estejam em vias de registar mais um recorde, como o que o Chiron Sport 300+ atingiu, ultrapassando as 300 milhas/h, ou seja, 490 km/h. Mas, desta vez, foram dois os modelos franceses apanhados a rodar no traçado alemão de Nürburgring, onde os melhores desportivos se batem pela obtenção da volta mais rápida, de forma a estabelecer assim o ranking dos melhores da classe.

Depois de surgirem os vídeos assinados pelas equipas que estão sempre com a mítica pista alemã debaixo de olho, em que é possível ver a eficácia com que o Bugatti descreve as curvas, apesar disto não impressionar tanto quanto a brutal capacidade de aceleração na recta seguinte, agora foram divulgadas as fotos oficiais da sessão.

Os dois Bugatti que rodaram no circuito germânico foram um Pur Sport e um Divo, ambos com 1500 cv e sacrificando a velocidade máxima em troca de uma maior capacidade de aceleração e apoio aerodinâmico superior, destinado a maximizar a velocidade de passagem em curva.

Apesar de extremamente potentes, torna-se evidente o elevado peso dos hiperdesportivos, ligeiramente acima das duas toneladas, o que aconselha a algum cuidado para não degradar os pneus, que são Michelin de série e homologados para rodar na via pública, sendo mesmo os únicos que permitem atingir velocidades acima dos 400 km/h.

Este Chiron não passa dos 351 km/h. Sabe porquê?

Se o vídeo revelou a forma como os pilotos tentam acertar na velocidade de entrada em curva, para depois acelerar a fundo, colocando no solo os 1500 cv e, mais do que isso, os 1600 Nm de binário (uma força brutal disponível entre as 2000 e as 6000 rpm), dias depois o construtor francês do Grupo Volkswagen confirmou a sessão de testes e revelou que visou a afinação do Chiron Pur Sport, no que respeita à suspensão e ao comportamento em curva, o que passa pela regulação dos apêndices aerodinâmicos, tanto a imensa asa traseira como o lábio frontal. Isto remete o espectacular Divo à condição de “camera car”.

Bugatti bate Koenigsegg com novo recorde: 490 km/h

Na informação difundida à imprensa, o responsável pelo desenvolvimento do chassi, Stefan Ellrott, realçou que apesar de ser extremamente potente, o Chiron tem de continuar a ser fácil de domar e previsível, para que a experiência de condução seja agradável e emocionante para qualquer tipo de condutor, mesmo os menos experientes. O que com um “monstro” de 1500 cv não deve ser tarefa fácil.