O grupo discográfico Universal Music anunciou esta segunda-feira uma “parceria global estratégica” com a etiqueta italiana Sugar, que irá fortalecer a distribuição mundial do catálogo histórico da discográfica transalpina.

A Sugar, com 88 anos, é, segundo a mesma fonte, a principal discográfica independente italiana, e esta parceria visa expandir a distribuição dos seus discos, que incluem bandas sonoras icónicas do cinema italiano, como “La Dolce Vita” (1960), de Federico Fellini, ou “8½” (1963), também de Fellini, e de compositores como Nino Rota, Luis Vacalov ou Ennio Morricone, que serão distribuídos pela Decca Records, também do grupo Universal Music.

“Este acordo reforça a sólida relação de 25 anos entre as duas empresas, que já colaboraram em múltiplas parcerias de sucesso em vários projetos inovadores com o tenor italiano Andrea Bocelli e o seu mais recente álbum de estúdio, ‘Si’, que foi nomeado para um Prémio Grammy e alcançou, pela primeira vez, o primeiro lugar nas tabelas de venda nos Estados Unidos e no Reino Unido em outubro de 2018”, lê-se no mesmo comunicado.

A parceria, segundo a mesma fonte, é “o início de uma nova colaboração criativa entre as duas empresas, sendo que o grupo passará agora a distribuir todo o seu catálogo histórico”.

A Sugar foi fundada em 1933, em Milão, no norte de Itália, por Ladislao Sugar, e “encontra-se na vanguarda da cultura musical italiana há décadas”.

O seu catálogo, conta com “mais de 2.000” bandas sonoras italianas e francesas, e “documenta o som do cinema italiano” com filmes como “La Dolce Vita”, “Amarcord”, “Mondo Cane”, “Il Postino”, “8½” ou “Il Gattopardo”, com a assinatura “de mais de 400 compositores”, designadamente Nino Rota, Ennio Morricone, Luis Bacalov, Riz Ortolani, Piero Piccioni, Armando Trovajoli, Piero Umiliani, Stelvio Cipriani, Fiorenzo Carpi ou Philippe Sarde, entre outros.