Morreu aos 98 anos o ator, realizador, argumentista e, acima de qualquer outra categorização, referência do humor norte-americano Carl Reiner. A notícia foi confirmada pela sua assistente, Judy Nagy, à revista Variety. Nagy revelou ainda que Reiner morreu de causas naturais.

Nova-iorquino e nascido no Bronx, Reiner teve uma carreira longa e de sucesso, premiada — venceu por exemplo nove prémios Emmy —, iniciada nos anos 1950 e que teve o seu auge com “The Dick Van Dyke Show”, série cómica marcante dos anos 1960 que Reiner criou e de que foi argumentista.

Pioneiro da comédia na televisão e cinema dos Estados Unidos da América, Reiner foi ainda realizador de filmes como “Oh, God!” (de 1977) — traduzido para português com o título “Alguém Lá em Cima Gosta de Mim” —, “The Jerk” de 1979 (em português, “O Tonto”) e “All of Me”, que chegou às salas de cinema em 1984 e cujo título foi traduzido em Portugal para “Almas do Outro Mundo”.

Reiner, que trabalhou de perto com Mel Brooks numa fase inicial da carreira, era pai do cineasta, ator e ativista Rob Reiner, tendo mais dois filhos (Annie Reiner e Lucas Reiner) e quatro netos. A geração mais jovem conhecê-lo-á também pela participação como ator nos filmes da saga “Ocean’s Eleven” e na sitcom “Dois Homens e Meio”, por exemplo.

Além dos nove prémios Emmy, Reiner foi ainda distinguido em vida com um Grammy e com o prémio Mark Twain para o Humor Americano.