O secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, afirmou esta terça-feira que o processo de compra antecipada de publicidade institucional, no montante global de 15 milhões de euros, está em “fase de contratação”.

“Estamos a falar de um processo administrativo muito complexo e que nunca tinha sido feito antes”, o que “tem alguma morosidade”, mas “estamos já nesta fase de contratação”, afirmou o governante, em resposta ao PCP sobre o tema, na comissão parlamentar de Cultura e Comunicação, na audição regimental do Ministério da Cultura.

A compra antecipada de publicidade institucional por parte do Estado foi anunciada em 17 de abril.

Nuno Artur Silva adiantou que a Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública (ESPAP) “já contactou com todos os órgãos de comunicação social nacionais a pedir a confirmação de dados”.

“Estamos a falar de 493 entidades de imprensa regional e 264 entidades rádios locais ou regionais”, acrescentou.

Para ajudar os media no âmbito do impacto no setor da pandemia de Covid-19, o Governo aprovou a compra antecipada de publicidade institucional por parte do Estado, no montante de 15 milhões de euros, dos quais 75% (11,2 milhões de euros) visam a comunicação social de âmbito nacional.

Os restantes 25% de apoios vão para os meios de comunicação regional e local, dos quais 2,019 milhões em aquisições a realizar a detentores de publicações periódicas de âmbito regional e 1,731 milhões em aquisições a realizar a detentores de serviços de programas radiofónicos de âmbito regional e/ou local.

Observador rejeita apoio governamental concedido ao abrigo de programa destinado aos media