A Covid-19 tornou muito difícil a vida às empresas (e aos países) que vivem do turismo. Todos conhecemos a realidade das companhias aéreas que, como a TAP, necessitam de ajuda dos Estados para não falir. Mas as empresas de aluguer de automóveis não estão numa situação mais risonha, com a Europar a ser disso um dos exemplos mais recentes.

A capitalização bolsista da Europcar no final de Março era de apenas 390 milhões de euros, segundo o Automotive News Europe e, nestes últimos três meses, mais não fez do que continuar a ver este valor cair, valendo a 30 de Junho apenas 341 milhões, dado as acções serem transaccionadas a 2,12€, contra os 4,63€ do início de Janeiro, quando a Covid-19 era apenas uma miragem.

Quando a Volkswagen se desfez da sua quota na empresa de aluguer de veículos francesa, há 14 anos, amealhou a módica quantia de 3,32 mil milhões de euros – um valor brutal face ao que é hoje atribuído à Europcar como valor de mercado. O construtor alemão candidata-se assim a retomar o que já foi seu por apenas um décimo do que recebeu em 2006.

Mas o reduzido valor de capitalização não é o único problema da Europcar. Se a bolsa lhe atribui hoje um valor de somente 341 milhões, tão pouco ajuda o facto de a locadora ter mais de 1000 milhões de dívida no final de Março, necessariamente com tendência para aumentar, dado o travão a fundo do turismo mundial.

A Europcar tem tentado evitar o destino da sua colega e concorrente Hertz, que pediu protecção de credores em Maio nos EUA, para evitar uma falência descontrolada. A empresa gaulesa já terá garantido um financiamento de 307 milhões de euros para fazer frente aos danos provocados pela Covid-19, o que inclui 220 milhões garantidos a 90% do Estado francês.

A Volkswagen manifestou oficialmente o seu interesse em regressar à Europcar, pelo que a bola está de momento no court da locadora e dos fundos de investimento que a controlam, como o Apollo e o Eurazeo, sendo que este último já abordou a JP Morgan para negociar a sua saída do rent-a-car, segundo a Reuters.

Para a Volkswagen, a Europcar seria uma excelente plataforma para fazer circular as frotas das marcas do grupo em 140 países espalhados um pouco por todo o mundo, com soluções de aluguer convencional, carsharing e carpooling.