A Bolt lança esta quarta-feira um novo serviço de bicicletas elétricas partilhadas, em Paris, anunciou o unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares) em comunicado. O objetivo é expandir o serviço para mais capitais europeias durante o ano 2020 e, assim, tornar-se na primeira plataforma de transporte europeia com bicicletas, trotinetes e uma plataforma que serve de intermediário entre passageiros e motoristas numa só aplicação.

A nova opção de partilha de bicicletas faz parte de um dos objetivos definidos no plano ambiental da empresa, o “Green Plan”, que pretende reduzir a pegada ecológica, adicionando mais veículos partilhados e elétricos na plataforma. A ideia também passa por compensar as emissões de CO2 do setor de transportes na Europa em pelo menos cinco milhões de toneladas até 2025, gerando mais opções de viagens ecológicas.

“O nosso objetivo é também que o novo serviço ajude a dar resposta à elevada procura por tipos de transporte individuais, que sejam leves e ecológicos, e que tiveram um grande crescimento nesta fase em que as cidades europeias começam gradualmente a sair da fase de confinamento. Acreditamos que a micromobilidade deve ser acessível, especialmente em momentos como este e, por isso, a nossa cultura operacional e sinergia entre diversos serviços permite-nos manter os preços mais baixos nos serviços de micromobilidade em todos os mercados onde atuamos””, explica Dmitri Pivovarov, diretor de micromobilidade da Bolt, em comunicado.

Em Paris, as bicicletas poderão ficar em zonas de estacionamento definidas para a sua colocação no final de cada viagem. A Bolt disponibiliza também um kit de ferramentas de segurança de micromobilidade. Esta opção está disponível apenas em Paris. Em Portugal, já prestam este serviço as concorrentes Uber (através da marca Jump) e Free Now (através da marca Hive).

Fundada em 2013 por Markus Villig, a Bolt conta com mais de um milhão de motoristas e 30 milhões de utilizadores em mais de 35 países. No final de maio, a empresa fechou uma ronda de investimento de 100 milhões de euros com o fundo Naya Capital Management, que aposta no crescimento da empresa.

Bolt recebe investimento de 100 milhões de euros