O sistema prisional regista atualmente sete casos ativos de infeção por Covid-19, nenhum entre reclusos, adiantou esta quarta-feira a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) em comunicado.

Há a registar sete casos de trabalhadores positivos à Covid-19, diagnosticados na sequência do rastreio que está a ser efetuado aos trabalhadores que a tanto se disponham, os quais reportam a três funcionárias de empresa externa que prestam serviços ao Hospital Prisional, a três guardas prisionais do Estabelecimento Prisional da Carregueira e a um guarda prisional do Estabelecimento Prisional de Leiria (jovens). Estes trabalhadores estão assintomáticos e em isolamento nos respetivos domicílios”, lê-se no comunicado.

A DGRSP adiantou ainda que foram todos negativos os resultados dos testes realizados a suspeitos e contactos de suspeitos dos sete casos positivos nos três estabelecimentos.

A nota faz ainda referência à situação no Estabelecimento Prisional de Vale do Sousa, onde um recluso testou positivo para a Covid-19 num teste realizado durante uma deslocação a um hospital, o que motivou que tenham sido “testados todos os reclusos das duas Alas com que esteve em contacto, bem como os trabalhadores deste estabelecimento prisional”.

Os resultados até agora recebidos, incluindo o repetido ao recluso que esteve na origem da situação, são todos negativos. O recluso, conforme orientações da saúde pública, manter-se-á internado na unidade de saúde do Estabelecimento Prisional do Porto, afeta ao tratamento da Covid 19, e irá ser testado novamente”, lê-se no comunicado.

A DGRSP recorda ainda que desde o início da pandemia se registaram, para além dos sete ativos, outros 21 casos de Covid-19, já todos recuperados e com alta médica.

Entre esses houve sete casos de infeção em guardas prisionais dos quadros da DGRSP, sete em trabalhadores externos prestadores de serviços, entre os quais um auxiliar de ação médica, um médico, duas enfermeiras e três seguranças.

Os restantes eram reclusos ou jovens internados em centros educativos, sendo o caso de um jovem internado no centro educativo da Bela Vista o único caso de transmissão interna.