Quatro empresas estrangeiras e uma de origem angolana concorrem à concessão, exploração e gestão do terminal multiusos do porto de Luanda, segundo as propostas divulgadas esta quarta-feira.

O concurso público lançado em 16 de dezembro teve inicialmente manifestações de interesse de nove candidatos, mas só cinco apresentaram propostas: a angolana Multiparque Terminal Link e as estrangeiras Sifax Group (Nigéria), DP World (Dubai), ICTS International Container Terminal Services (Filipinas) e o consórcio SAS/MPLFI MSC.

Na abertura das propostas, o presidente da empresa pública portuária, Alberto Bengue, disse à imprensa que o vencedor será conhecido dentro de 60 dias.

Entre os requisitos obrigatórios de participação no concurso contam-se, entre outros, a exigência de um volume de negócios médio anual dos últimos três exercícios fiscais não inferior ao equivalente a 100 milhões de dólares (89 milhões de euros), um ativo líquido não inferior ao equivalente a 100 milhões de dólares e capital próprio realizado não inferior ao equivalente a 25 milhões de dólares (22 milhões de euros).

O prazo inicial das entregas das candidaturas foi prorrogado por duas vezes devido à pandemia de Covid-19, adianta um comunicado.

O terminal multiusos do porto de Luanda é uma infraestrutura portuária que se dedica à operação simultânea de carga geral e contentores, possui um cais de 610 metros, uma profundidade de 12,5 metros e conta com uma área de 181.070 metros quadrados com capacidade para movimentar 2,6 milhões de toneladas por ano.