A Câmara do Porto lançou esta sexta-feira o concurso público para obras de reabilitação e beneficiação de 11 blocos do bairro social da Pasteleira, tendo fixado o valor da empreitada em cerca de 4,75 milhões de euros.

Publicado em Diário da República, o procedimento a cargo empresa municipal de Habitação Domus Social fixa em 600 dias o prazo execução da empreitada de “Obras de Reabilitação e Beneficiação dos Blocos 2 a 9, 11, 13 e 15 do Conjunto de Habitação Social da Pasteleira”.

As propostas para reabilitar estes 11 dos 27 blocos do Bairro da Pasteleira devem ser apresentadas no prazo de 30 dias a contar da data deste anúncio.

Em maio, numa nota na sua página oficial, a autarquia tinha já anunciado que a primeira fase da empreitada de reabilitação e beneficiação do Bairro da Pasteleira tinha arrancado com uma intervenção no bloco 1, devendo estender-se aos restantes, de forma faseada, ainda no decurso de 2020.

À data, o município explicava que as obras incidem em melhoramentos sobre fachadas, vãos envidraçados, caixas de escadas coletivas, cobertura, ventilação e exaustão de fumos e gases de combustão, entre outras benfeitorias a realizar.

Nesta primeira fase, o investimento municipal é superior a 811 mil euros.

Ainda segundo a autarquia, a construção deste bairro, composto por 27 edifícios onde residem cerca de 600 famílias, remonta ao ano de 1960, tendo resultado do denominado Plano de Melhoramentos. Desde então, este complexo habitacional localizado na União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos foi requalificado exteriormente em 1997.

De acordo com a página na Internet da Domus Social, no bairro da Pasteleira residem cerca de 1.500 pessoas.