O Rio de Janeiro iniciou na quinta-feira outra etapa dos seus planos de flexibilização da economia durante a pandemia, permitindo a abertura de bares, o que provocou aglomeração em áreas boémias do Leblon, na zona sul da cidade.

Segundo informações e imagens divulgadas pelos media locais, dezenas de pessoas foram apanhadas a beber sem máscaras nas calçadas e ruas em frente a alguns bares do Leblon, que permaneceram abertos após as 23h locais, desrespeitando as determinações da prefeitura carioca.

Segundo o portal de notícias G1, agentes da Guarda Municipal terão inclusive determinado o fecho de alguns bares naquela zona devido à aglomeração de pessoas.

O estado do Rio de Janeiro é o segundo mais afetado pela pandemia provocada pelo novo coronavírus no Brasil.

Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, o estado do Rio de Janeiro já registou mais de 116 mil casos e 10.332 mortes provocadas pela Covid-19.

Só a capital carioca registou 58.615 casos confirmados e 6.689 mortes causadas pela doença, segundo a secretaria de saúde estadual.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de infetados e de mortos (mais de 1,49 milhões de casos e 61.884 óbitos), depois dos Estados Unidos da América.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 521 mil mortos e infetou mais de 10,88 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.