Portugal registou mais sete óbitos na últimas 24 horas (ontem tinham sido registadas 11 mortes), com Covid-19, um aumento de 0,4%, de acordo com o boletim da DGS, divulgado este sábado. O país contabiliza agora 1.605 óbitos. Há 413 novos casos de infeção, o número diário mais alto desde 28 de junho, e que corresponde a uma subida de 1%. São agora 43.569 os casos confirmados em Portugal desde o início da pandemia (28.772 já recuperaram).

As sete mortes com Covid-19 aconteceram, todas elas, na região de Lisboa e Vale do Tejo. Esta região continua a registar mais casos diários face às restantes. Foram mais 317 infetados nas últimas 24 horas (num total de 20.273), concentrando quase 77% do total de novos casos.

Em Lisboa e Vale do Tejo, o concelho com maior número de novos infetados foi Lisboa (61, para um total de 3.645), seguido de Sintra (35, para 2850) e Odivelas (26, totalizando 1183). Entre os mais afetados estão ainda Loures (23 para um total de 1910), Cascais (20, somando 1061), Almada (17, para 624), Seixal (16, para 643) e Oeiras (14, num total de 852).

Subida percentual é mais expressiva no Alentejo. Em Reguengos de Monsaraz, há mais 7 infetados

Depois de Lisboa e Vale do Tejo, a região Norte é a que tem mais novos casos de Covid-19 (são 59, uma subida de 0,3%), o Centro, que soma mais 20 (mais 0,5%), o Alentejo com 13 (tem a subida percentual mais expressiva, de 2,6%) e a região Sul com quatro casos novos (0,6%). Os Açores e a Madeira não registaram qualquer caso nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim (têm, respetivamente, 151 e 92 casos).

Em Reguengos de Monsaraz, que enfrenta um surto (que, aliás, já levou a autarquia a ativar o Plano Municipal de Emergência), os dados da DGS mostram que há mais sete infetados, para um total de 132.

Este sábado, foi confirmada a morte de uma idosa de 87 anos, que se encontrava internada no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), aumentando, assim, para nove o número de vítimas mortais do surto de Covid-19 de Reguengos de Monsaraz, informou o município. O número de internados no HESE é de 17, quatro dos quais estão na unidade de cuidados intensivos.

Uma das vítimas mortais tinha entre 40 e 49 anos. Não há dados de novos casos por faixa etária

As vítimas mortais nas últimas 24 horas com Covid-19 foram uma mulher que tinha entre 40 e 49 anos, um homem com entre 60 e 69 anos e cinco pessoas com mais de 80 anos (dois homens e três mulheres). Ao todo, já morreram 802 homens e 803 mulheres. Destes valores, 466 e 608 tinham mais de 80 anos.

Na sexta-feira e este sábado, a DGS não divulgou o número de novos casos por faixas etárias. Além disso, também desde sexta-feira, que alerta que há dados que “carecem de análise”. Segundo a DGS, os números referentes à Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo têm como fonte “os dados agregados dos respetivos ACES [Agrupamento de Centros de Saúde].” “Optou-se por esta fonte porque a não notificação laboratorial no SINAVE LAB por um parceiro privado em três dias da semana em curso originou cerca de 200 notificações cuja distribuição ainda carece de análise”, refere.

A taxa de letalidade voltou a cair, de 3,70% para 3,68%.

Menos 6 pessoas internadas, mas mais uma nos cuidados intensivos

O boletim da DGS mostra ainda que seis pessoas deixaram de estar internadas (são agora 489), mas há mais uma nos cuidados intensivos (num total de 73).

O país conta com 43.569 casos confirmados desde o início da pandemia, sendo que 28.772 pessoas já recuperaram (mais 348 do que ontem).