China e Índia começaram esta segunda-feira a retirar tropas do vale de Galwan, onde pelo menos 20 soldados indianos morreram, no mês passado, no mais grave confronto entre os dois países vizinhos em meio século.

“A retirada do Exército de Libertação Popular da China começou, de acordo com os termos acordados na reunião entre comandantes”, avançaram fontes militares indianas, citadas pela agência Efe.

O Exército chinês removeu tendas e estruturas da área onde ocorreu o confronto, nos Himalaias. “O Exército de Libertação Popular foi visto a remover tendas e estruturas no ponto de patrulha 14. Uma retirada de veículos do PLA foi observada na área geral de Galwan, Hotsprings e Gogra”, acrescentou.

Os dois países culparam-se mutuamente pelos confrontos com paus e pedras, mas sem recurso a armas de fogo, no vale de Galwan, onde, segundo as autoridades indianas, também houve vítimas do lado chinês, algo não confirmado por Pequim.

As potências nucleares mantêm uma disputa histórica sobre várias partes dos Himalaias. Pequim reivindica a região de Arunachal Pradesh, controlada por Nova Deli, que por sua vez reivindica Aksai Chin, administrado pelo país vizinho.

No último confronto, a Índia acusou o país vizinho de reunir tropas e erguer estruturas na área, enquanto a China alegou que as tropas indianas provocaram os seus soldados.