A administração do Parque Nacional de Cangandala desativou, no primeiro semestre deste ano, 266 armadilhas montadas por caçadores furtivos, informou o responsável pela reserva onde se encontra a Palanca Negra Gigante, espécie exclusiva de Angola.

Segundo Victor Paca, o número de armadilhas desativadas reduziu-se significativamente comparando a igual período de 2019, contudo, a situação é preocupante face à insistência dos caçadores furtivos.

Além das armadilhas, realçou Victor Paca, citado esta terça-feira pela agência noticiosa angolana, Angop, as queimadas também preocupam, referindo que, nos últimos dias, 21 quilómetros de extensão do parque sofreram com o fogo.

O responsável avançou que os fiscais, que serão reforçados nos próximos dias com 50 novos efetivos, estão a encerrar os caminhos clandestinos criados pelos caçadores.

No Parque Nacional de Cangandala, inicialmente uma Reserva Natural Integral, criada em 1963, na província angolana de Malanje, estão monitorizadas 90 Palancas Negras Gigantes, por sistema GPS.