A distrital do PSD de Setúbal teve eleições no último sábado, mas um SMS falso ensombrou o ato eleitoral. Os militantes do PSD do Barreiro terão recebido uma mensagem — que era totalmente falsa — assinada pela “DGS” e que alertava para um surto de Covid-19 na Santa Casa da Misericórdia do Barreiro, apelando aos destinatários que “ficassem em casa”. A SMS terá sido atribuída por alguns militantes à lista de Pedro Tomás já que a lista R era a que mais beneficiaria de uma fraca participação do Barreiro (concelhia onde a lista A, de Paulo Ribeiro, tinha mais força). Pedro Tomás acabou por perder as eleições, mas quer agora ver tudo esclarecido e entregou “uma denúncia no DIAP do Barreiro a fim de se apurar responsabilidades sobre este incidente.”

SMS alarmista (e falso) sobre Covid-19 assustou militantes do PSD em dia de eleições distritais

Questionado pelo Observador sobre se este ato poderá ter influenciado o resultado das eleições, Pedro Tomás diz que é “sempre difícil fazer essas conjeturas”, mas acredita que sua lista terá sido prejudicada “pelas insinuações” de que tinha sido um apoiante seu a enviar a mensagem. Uma situação que, lamenta, pode ter “influenciado as pessoas a votar na outra lista”.  O mesmo tinha sido dito numa nota enviada esta tarde ao Observador, em que a lista R lamentava “que este incidente possa ter influenciado o resultado eleitoral devido às insinuações geradas durante o período das votações“.

Apesar disso, lembra Pedro Tomás, “houve uma elevada participação”, inclusivamente na concelhia do Barreiro, e que “se houve uma lista prejudicada” acabou por ser a R e não a A. Paulo Ribeiro — próximo do ex-líder distrital Bruno Vitorino, que é crítico de Rio — acabou por vencer com 57% dos votos contra os 43% de Pedro Tomás, numa lista associada ao líder Rui Rio, por ter como um dos maiores apoiantes o deputado Nuno Carvalho (apoiante do atual líder do partido nas últimas diretas).

Novo líder distrital do PSD/Setúbal quer revitalizar o partido e maior abertura à sociedade civil

Em nota enviada ao Observador, a lista R diz que este atos “são de uma severa irresponsabilidade, sobretudo dado o momento em que vivemos sob uma pandemia mundial e em pleno estado de calamidade na região”. Além da queixa entregue no Ministério Público será ainda enviada “uma denúncia ao Conselho de Jurisdição Distrital para que se proceda a um inquérito que confirme a existência dos SMS, a sua proveniência, se os resultados foram condicionados e se existiu conduta caluniosa que tenha atentado ao bom nome do PSD e dos seus militantes”.

Os membros da lista R dizem ainda que “o foco do PSD deverá estar sempre no combate e na discussão política, mas, perante a gravidade do caso, exige-se o cabal esclarecimento da verdade“.