A Argentina registou na segunda-feira 75 mortes devido ao novo coronavírus, um recorde diário desde o início da pandemia, que já causou 1.582 óbitos no país, anunciaram as autoridades. O país contabilizou ainda um total de 80.434 casos da Covid-19 desde o início da pandemia.

A região metropolitana da capital, Buenos Aires, onde vivem 14 milhões de pessoas e se concentram mais de 90% dos casos, foi de novo colocada em rigoroso confinamento de 1 a 17 de julho, numa tentativa de conter a propagação do vírus.

As restrições impostas desde 20 de março na capital argentina tinham sido gradualmente aliviadas nas últimas semanas, mas o número de novas infeções obrigou o governo a recuar.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 535 mil mortos e infetou mais de 11,52 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP). Em Portugal, morreram 1.620 pessoas das 44.129 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.