O chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, afirmou esta segunda-feira que os Estados Unidos da América (EUA) pretendem apoiar Cabo Verde nos “esforços de desenvolvimento” e de segurança marítima, elogiando um relacionamento de mais de 200 anos.

Os Estados Unidos têm orgulho de sua estreita parceria com Cabo Verde. O nosso relacionamento está enraizado em mais de 200 anos de história e num compromisso comum com a democracia, a segurança regional e a prosperidade económica”, escreveu Pompeo, numa mensagem a propósito do 45.º aniversário da independência cabo-verdiana (5 de julho de 1975).

O secretário de Estado norte-americano afirmou ainda: “Os Estados Unidos comemoram convosco e esperamos muitos mais anos de amizade e colaboração”.

O primeiro marco institucional da relação entre os EUA e a então colónia portuguesa foi o estabelecimento, no arquipélago de Cabo Verde, em dezembro de 1818, do primeiro cônsul norte-americano na África subsariana.

Atualmente, mais de 200 mil cabo-verdianos e descendentes vivem no EUA, a maior comunidade na diáspora daquele arquipélago.

Ao marcar esta importante ocasião, os Estados Unidos reafirmam o nosso compromisso de apoiar os esforços de desenvolvimento do setor privado e a segurança marítima em Cabo Verde. Juntos, podemos promover nossos objetivos mútuos para uma África segura, estável e próspera”, escreveu Mike Pompeo.

Esta mensagem surge poucos dias depois de as autoridades norte-americanas terem formalizado a Cabo Verde o pedido de extradição de Alex Saab, que consideram um testa-de-ferro do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

O empresário colombiano, que viajava como enviado especial da Venezuela, está detido preventivamente no arquipélago desde 12 de junho, na sequência de uma escala técnica na ilha do Sal, precisamente após um mandado de captura emitido pelos Estados Unidos.