O ministério da Saúde (Minsa) angolano anunciou esta quarta-feira a testagem de mil pessoas no mercado do Catinton, um dos maiores de Luanda, para despistar a Covid-19 em lugares de grande concentração e com maior facilidade de transmissão da doença.

Na terça-feira, a ministra da tutela, Sílvia Lutucuta, anunciou que as autoridades sanitárias iriam avançar com a realização de cerca de 6.000 testes serológicos nos mercados, entre outras “áreas de risco de grandes conglomerados”, para recolher informação sobre a atual situação da pandemia.

A ministra da Saúde acompanhou a testagem em massa, juntamente com a governadora da província de Luanda, Joana Lina, indicando que foi usado um teste serológico rápido, aprovado pela agência reguladora norte-americana (Food and Drug Administration) e já validado pela Organização Mundial da Saúde.

Citada num comunicado do Minsa, Sílvia Lutucuta explicou que “quando é feita a testagem não significa que a pessoa tem a doença ativa, mas sim que teve contacto com o coronavírus e tem imunidade”, sendo nos casos positivos feita uma colheita para confirmar o resultado através de um teste de base molecular (RT-PCR).

Angola regista 386 casos de Covid-19 dos quais 21 resultaram em óbitos.