A reunião entre o ministro das Infraestruturas e os sindicatos dos motoristas, para debater o acordo quadro de cargas e descargas e o impacto da Covid-19, foi novamente adiada para a próxima quarta-feira, avançou o SNMMP.

“Infelizmente voltou a não acontecer pelos mesmos motivos”, afirmou o presidente do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Francisco São Bento, em declarações à Lusa, sublinhando que, desta vez, não foram recebidos por membros do gabinete de Pedro Nuno Santos.

A 1 de julho, o SNMMP, o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) e a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) tinham agendada uma reunião com o ministro das Infraestruturas, mas acabaram por ser recebidos por alguns membros da equipa do ministério, uma vez que o governante estava ausente, a tratar de questões relacionadas com a TAP.

O sindicalista disse que, inicialmente, a reunião desta quarta-feira foi atrasada por uma hora, ficando assim prevista para as 12h00, no entanto, acabou por não acontecer, uma vez que o governante não estava disponível.

De acordo com o SNMMP, não foi possível adiar o encontro para esta tarde, uma vez que os sindicalistas já tinham outras reuniões agendadas. A reunião com o Governo ficou assim marcada para a próxima quarta-feira, pelas 11h00.

No encontro da semana passada com os representantes do Ministério das Infraestruturas, os sindicatos reafirmaram a existência de situações abusivas e ilícitas de recurso ao layoff simplificado (redução do horário de trabalho ou suspensão do contrato) por parte de algumas transportadoras, lamentando ainda as condições de trabalho do setor, sobretudo, em tempos de pandemia.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 544 mil mortos e infetou mais de 11,85 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 1.629 pessoas das 44.416 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.