O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) prevê “mais detenções nas próximas horas” relativas ao desmantelamento de uma rede de tráfico de pessoas em Santarém, em que foram esta quarta-feira detidos três suspeitos e “identificados cerca de 140 trabalhadores estrangeiros”.

“As diligências no terreno continuam, prevendo-se mais detenções nas próximas horas”, avançou o SEF, numa nota à comunicação social, enviada pelas 16:15, indicando que a operação decorre no âmbito de “uma investigação delegada no SEF pelo Ministério Público de Santarém e que decorreu ao longo de um ano”.

Em declarações à Lusa, fonte do SEF adiantou, pelas 13:00, que a operação, que teve início às 05:00, já tinha terminado.

Na operação contra o tráfico humano na zona de Santarém, denominada Lezíria, foram “identificados cerca de 140 trabalhadores estrangeiros, de origem indostânica”, referiu o SEF, adiantando que “cerca de 20 foram já sinalizados como vítimas do crime de tráfico de pessoas”, pelo que lhes foi “disponibilizado todo o apoio necessário”.

Estes cidadãos estavam, na sua maioria, sujeitos a condições degradantes de trabalho, alojamento e salubridade”, revelou este serviço de segurança e órgão de polícia criminal.

Antes deste comunicado, o SEF disse que tinham sido identificados 150 estrangeiros como potenciais vítimas dos crimes de tráfico de pessoas e auxílio à imigração ilegal, nos concelhos de Almeirim e de Alpiarça, no distrito de Santarém.

Neste âmbito, este órgão de polícia criminal procedeu já ao cumprimento de três mandados de detenção por suspeitas dos crimes de tráfico de pessoas e de auxílio à imigração ilegal na zona de Santarém e de 40 mandados de buscas domiciliárias, o que resultou na apreensão de “vários meios informáticos, diversa prova documental da prática dos crimes identificados e uma avultada quantia de dinheiro”.

“Esta operação do SEF teve como principal objetivo o desmantelamento de uma rede de tráfico de seres humanos e crimes conexos, com a introdução de trabalhadores estrangeiros, alguns em situação irregular, em explorações agrícolas no Ribatejo”, afirmou este serviço de segurança, na nota enviada à comunicação social.

Com a participação de 120 operacionais do SEF, a operação Lezíria decorre com a presença de elementos das Equipas Multidisciplinares Especializadas para Assistência a Vítimas de Tráfico de Seres Humanos, de forma a “garantir o tratamento adequado das situações ali detetadas”, contando ainda com o apoio de diversos parceiros em termos logísticos.

A operação decorre no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas, em Santarém.

Os três detidos por suspeitas dos crimes de tráfico de pessoas e de auxílio à imigração ilegal foram ouvidos primeiro pelo SEF e, depois, pelas procuradoras do Ministério Público, mas vão ser presentes ao tribunal competente para aplicação das respetivas medidas de coação.