A Assembleia Municipal do Porto aprovou nesta quarta-feira, por unanimidade, a isenção do pagamento das taxas municipais tributadas aos vendedores das feiras e mercados, que vigora entre o período de 13 de março a 31 de dezembro.

Na sessão extraordinária, que decorreu presencialmente no Teatro Municipal do Porto – Rivoli, os deputados municipais foram unânimes em aprovar a proposta que, face à situação “excecional” provocada pela pandemia da Covid-19, isenta os vendedores de feiras e mercados do “total pagamento das taxas municipais tributadas”.

A deputada do Bloco de Esquerda (BE) Susana Constante Pereira considerou tratar-se de uma medida que, além de “valorizar o papel das feiras”, responde às famílias, nomeadamente aquelas que “ficaram sem rendimentos” devido à crise provocada pela pandemia. Já o deputado do PAN Ernesto Morais, apesar de votar favoravelmente, afirmou, em declaração de voto, não “poder deixar passar o tema” sem referir a Feira dos Passarinhos, feira que para o PAN “levanta algumas questões” ao nível legal, mais concretamente, no que concerne à “venda ilegal de espécies protegidas”.

A isenção total das taxas municipais abrange os vendedores que têm a sua situação “tributária regularizada” perante o município e vigora desde 13 de março a 31 de dezembro, sendo que as taxas que já foram cobradas durante esse período “vão ser reembolsadas”. Segundo a proposta, a isenção, ainda que resulte em perdas de receita municipal, “não põe em causa os orçamentos municipais de 2020-2021”, abrangendo o valor de 131.608,96 euros.