As Ilhas Baleares preparam-se para decretar o uso obrigatório de máscara mesmo que esteja garantida a distância de segurança. A normativa, que será a segunda deste tipo a entrar em vigor em Espanha, depois de decisão semelhante na Catalunha ter sido anunciada esta quarta-feira.

De acordo com a agência Efe, esta medida, que será oficialmente publicada no Boletim Oficial das Baleares entre sexta-feira e sábado, contará ainda assim com algumas exceções. Desta forma, não será obrigatório o uso de máscara nas praias, em piscinas, durante a prática desportiva, quando se estiver a comer e a beber ou também a tocar instrumentos de sopro. Também se excluem as crianças com menos de seis anos ou pessoas que não possam utilizar máscara por motivos médicos.

Até aqui, o uso de máscara nas Ilhas Baleares era apenas obrigatório em estabelecimentos públicos interiores ou em espaços públicos onde não é possível garantir a distância mínima de segurança, como transportes públicos.

A multa para quem infringir esta regra deverá ser fixada nos 100 euros, à semelhança daquilo que foi decretado esta quarta-feira na Catalunha.

Esta medida surge perante a preocupação do governo regional das Ilhas Baleares, que apesar de ter sido das regiões espanholas menos afetadas pela pandemia (tem 137 casos ativos, entre 2.241 registados e dos quais 228 resultaram na morte dos pacientes) teme agora que o turismo, importante fonte de riqueza da região, caia a pique. Enquanto isso, as autoridades das Ilhas Baleares têm-se deparado com a realização de festas ilegais, tendo este fim-de-semana interrompido duas — uma com 200 e outra com 100 pessoas, aproximadamente.