A GNR deteve, em Gondomar, mais dois suspeitos de uma alegada rede de tráfico de droga no Norte de Portugal, que já levou a outras três detenções na região de Trás-os-Montes, informou esta quinta-feira aquela força de segurança.

A investigação que dura há mais de um ano está centrada em Mirandela, no distrito de Bragança, e deu origem a mandados de busca no concelho de Gondomar, que levaram à detenção dos dois homens, por suspeita de pertenceram à alegada “organização criminosa que se dedicava ao cultivo do produto estupefaciente, embalamento e venda aos revendedores”.

Nas buscas, domiciliária e veículos, realizadas na quarta-feira em Gondomar, foram apreendidos quatro estufas para produção de cannabis, mais de 1700 doses de cannabis e haxixe, 38 plantas, material para secar, acondicionar e pesar o produto, computadores, telemóveis e 970 euros em dinheiro.

De acordo com a informação divulgada pelo Comando Distrital de Bragança da GNR, a operação esteve a cargo de militares de Mirandela apoiados pela Investigação Criminal (IC) deste comando, por militares do Comando Territorial do Porto e com o apoio da PSP.

A GNR divulgou ainda que “a investigação em causa iniciou-se em abril de 2019” e já “em janeiro de 2020 tinha sido detido um dos indivíduos que se dedicava à venda de produto estupefaciente nos concelhos de Vila Flor e Carrazeda de Ansiães”.

Em fevereiro de 2020 foi detido um casal, pertencente à mesma rede, que se dedicava à venda do produto estupefaciente no concelho de Mirandela, segundo ainda a Guarda.

Estes três detidos encontram-se em prisão preventiva, enquanto os dois suspeitos apanhados em Gondomar aguardam a decisão do Tribunal Judicial de Vila Flor, onde decorre o processo judicial, sobre as medidas de coação.