O Supremo Tribunal dos Estados Unidos da América decidiu esta quinta-feira que o procurador nova-iorquino pode avançar com uma intimação para ter acesso às declarações de impostos que Donald Trump tem vindo a tentar manter privadas, noticiaram os jornais norte-americanos.

Cyrus Vance Jr. avançou com uma intimação contra a Mazars USA, a empresa de contabilidade de Trump, procurando aceder a documentação e declarações de impostos no âmbito de uma investigação aos alegados pagamentos feitos pelo ex-advogado do atual Presidente norte-americano, Michael D. Cohen, a duas mulheres com as quais esteve envolvido. Entre estas conta-se a atriz pornográfica Stormy Daniels, que afirma ter tido relações sexuais com Trump antes deste ser eleito para a Presidência dos Estados Unidos.

Vance quer saber se o grupo empresarial Trump Organization falsificou documentos para esconder os pagamentos às duas mulheres. Trump tem negado as acusações.

Trump falou pela primeira vez do caso Stormy Daniels: “Pagamento? Não sei. Têm que perguntar ao meu advogado”

Trump tinha tinha pedido ao Supremo Tribunal que bloqueasse a ação, alegado ser imune a qualquer investigação criminal enquanto ocupar o cargo presidencial. O órgão judicial concluiu, no entanto, que o procurador de Nova Iorque tem autoridade para pedir os registos à empresa de contabilidade, mas enviou o caso para um tribunal distrital para outros procedimentos.

O Supremo tomou ainda a resolução de bloquear o acesso do Congresso aos documentos. A câmara baixa, com maioria democrata, quer ter acesso aos últimos oito anos de registos financeiros de Trump.

Tanto os democratas como Vance Jr. acreditam que as declarações podem esclarecer ainda as relações internacionais de Donald Trump, possíveis conflitos de interesse e se o atual Presidente pagou os impostos ou se o financiamento da sua campanha violou a lei, refere o The New York Times.

“Isto é tudo uma acusação política”, afirma Donald Trump, que fala em “má conduta judicial”

Trump comentou a decisão desta quinta-feira do Supremo Tribunal no Twitter. Falando em “má conduta judicial”, o Presidente descreveu o caso como não passando de uma “acusação política”. “Ganhei à Caça às Bruxas Mueller e outras e agora tenho de continuar a lutar numa Nova Iorque politicamente corrupta. Não é justo para a Presidência ou para a Administração”, afirmou Trump.

Donald Trump aproveitou ainda para apontar o dedo à antiga administração de corrupção, acusando o ex-Presidente Barack Obama e ex-vice-Presidente Joe Biden, candidato às próximas eleições presidenciais, de espiarem a sua campanha e de nunca terem sido apanhados. “Nada lhes acontece. Este crime estava a acontecer antes até da minha eleição. Toda a gente sabe, e no entanto estão todos congelados com medo de outro Presidente”, disse, referindo-se ao que considera ser “o maior escândalo e crime político na história dos Estados Unidos”.

“Apesar disto tudo, fiz mais do que qualquer Presidente em três anos e meio!”, declarou também, considerando que apesar de “ter ganho tudo contra o governo federal e os democratas”, estes decidiram “enviar tudo para uma Nova Iorque politicamente corrupta, que está a cair aos bocados com toda a gente a sair, para terem direito a uma segunda, uma terceira e uma quarta tentativa”.