A primeira ronda a eliminar da Liga Europa acabou por provocar uma autêntica razia entre as equipas portuguesas, com o FC Porto a cair frente aos alemães do Bayer Leverkusen, o Benfica a perder com os ucranianos do Shakhtar Donetsk, o Sporting a ser eliminado pelos turcos do Basaksehir e o Sp. Braga afastado pelos escoceses do Rangers. No entanto, e sobretudo a nível de treinadores, a representação nacional continuou forte e essa acabava por ser a grande curiosidade no sorteio da Final Eight da competição, que irá decorrer na Alemanha.

Oficial: Lisboa recebe Final Eight da Champions em agosto, Porto e Guimarães podem receber jogos dos oitavos

Ao contrário do que aconteceu na Liga dos Campeões, onde quatro jogos dos oitavos ficaram fechados antes da pandemia e os outros quatro ainda realizaram a primeira mão, na Liga Europa houve até duas partidas que não tiveram sequer a primeira mão dos oitavos, o que fez com que a UEFA estudasse um novo modelo competitivo para terminar a prova em 2019/20. Assim, para tentar garantir o máximo possível de verdade desportiva, o Inter-Getafe e o Sevilha-Roma serão disputados já na Alemanha (neste caso a funcionar como terreno neutro) a uma mão, ao passo que a segunda mãos dos restantes encontros será disputada no terreno das equipas visitadas. Desta forma, o quadro dos oitavos da Liga Europa, que se vão realizar a 5 e 6 de agosto, será o seguinte:

  • Copenhaga-Basaksehir (0-1 na primeira mão)
  • Wolverhampton-Olympiacos (1-1 na primeira mão)
  • Bayer Leverkusen-Rangers (3-1 na primeira mão)
  • Shakhtar Donetsk-Wolfsburgo  (2-1 na primeira mão)
  • Basileia-Eintracht Frankfurt (3-0 na primeira mão)
  • Manchester United-LASK (5-0 na primeira mão)
  • Inter-Getafe
  • Sevila-Roma

A história de Neto, que não teve barbas por Sá: Wolves empatam com Olympiacos em jogo marcado pela expulsão de Rúben Semedo

Agora, num sorteio onde, à semelhança da Liga dos Campeões, os representantes dos clubes entraram através do sistema de videoconferência (com o apresentador Pedro Pinto a ter oportunidade falar com os compatriotas Luís Castro e Pedro Martins, campeões na Ucrânia e na Grécia, respetivamente), o quadro dos quartos, sorteado pelo alemão Thomas Helmer e que serão jogados a 10 e 11 de agosto na região da Renânia do Norte-Vestefália entre Colónia (que recebe a final da competição), Duisburgo, Düsseldorf e Gelsenkirchen, será o seguinte:

  • Jogo 1: Wolfsburgo/Shakhtar Donetsk-Eintracht Frankfurt/Basileia
  • Jogo 2: LASK/Manchester United-Basaksehir/Copenhaga
  • Jogo 3: Inter/Getafe-Rangers/Bayer Leverkusen
  • Jogo 4: Olympiacos/Wolverhampton-Sevilha/Roma

Já o quadro das meias-finais, que serão jogadas a 16 e 17 de agosto, será o seguinte:

  • Finalista 1: Jogo 4-Jogo 2
  • Finalista 2: Jogo 3-Jogo 1

Em resumo, e se o Shakhtar Donetsk de Luís Castro não irá cruzar com treinadores nem jogadores portugueses no caminho possível até à final a não ser que o Eintracht Frankfurt de André Silva e Gonçalo Paciência consiga uma recuperação histórica diante do Basileia, o outro lado do emparelhamento levanta várias possibilidades entre os representantes nacionais, com o Roma de Paulo Fonseca e o Sevilha de Lopetegui a cruzarem nos quartos com o Olympiacos de Pedro Martins ou o Wolverhampton de Nuno Espírito Santo antes de uma meia-final que, em teoria, deverá contar com o Manchester United de Bruno Fernandes e Diogo Dalot, equipa que além da vantagem na eliminatória frente ao LASK calhou em sorte com o adversário teoricamente mais acessível nos quartos.

Artigo corrigido às 13h30 depois do cruzamento dos jogos relativos às meias-finais