O treinador do Boavista disse este domingo querer uma equipa “competente” diante do Portimonense, na terça-feira, na 32.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, considerando que adversário está “pressionado” pela luta pela manutenção.

Em conferência de imprensa, Daniel Ramos anteviu um “jogo que vai ter um grau de dificuldade altíssimo”.

O técnico estreou-se no comando técnico do Boavista, em substituição de Lito Vidigal, precisamente na receção ao Portimonense, em 4 de janeiro, na 15.ª jornada (1-1) e o balanço que faz do seu trabalho é “positivo olhando para a adversidade”.

O arranque, analisou, começou com “uma melhoria e os resultados não acompanharam”, isto numa altura em que a equipa tinha falta de pontos. Depois, considerou Daniel Ramos, os resultados surgiram, mas as exibições ficaram aquém do que pretendia.

“Com a paragem [forçada pela covid-19], houve tempo para trabalhar, consolidar e melhorar alguns aspetos e dar confiança e uma outra roupa à equipa, o que felizmente aconteceu e a nossa qualidade de jogo melhorou”, resumiu.

Daniel Ramos considera que o Boavista está “no caminho certo, a proporcionar aquilo que o clube quer”, com a valorização dos jogadores, exibições e já com o seu “objetivo principal atingido há algum tempo”.

O Boavista vai a Portimão sem os defesas centrais Ricardo Costa Fabiano Leismann e o médio Paulinho, todos castigados, sendo que os dois últimos foram expulsos na jornada anterior, na derrota caseira com o Marítimo (0-1), mas o técnico ‘axadrezado’ recusa “lamentos” e disse confiar nos jogadores disponíveis.

“O encontro que vai ter um grau de dificuldade altíssimo, pois está muito em jogo ainda neste campeonato. O Portimonense que é uma das boas deste campeonato e será um jogo muito intenso e de grande exigência para ambas as equipas”, prognosticou.

Questionado sobre se o Boavista poderá estar em vantagem por ter a sua situação resolvida e o Portimonense estar sob grande pressão, Daniel Ramos sublinhou que, “claramente, quem está pressionado é o Portimonense porque não atingiu o seu objetivo e procura assegurar a manutenção”.

O Portimonense “melhorou com a entrada do [treinador] Paulo Sérgio [para o lugar de Folha] e conseguiu resultados, mas não foram suficientes para respirar de alívio” e, a três jogos do fim, a despromoção é uma ameaça real para a equipa algarvia.

O que Daniel Ramos quer é a sua “equipa a jogar como se estivesse a jogar perante os seus adeptos”, tendo como objetivo final “a melhor classificação” e, tal passa por entrar na casa dos 40 pontos.

Quanto ao seu futuro, o técnico nada disse e apenas salientou que não falará “mais nada” sobre o assunto.

O Portimonense, 17.º classificado, com 27 pontos, recebe na terça-feira o Boavista, 11.º, com 38, num jogo relativo à 32.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol marcado para as 19h15, no Portimão Estádio, em Portimão.