Várias centenas de pessoas manifestaram-se este domingo, pelo segundo dia consecutivo, em Khabarovsk, no Extremo Oriente russo, em apoio ao governador da região acusado de homicídio.

Sergei Furgal, 50 anos, governador da região de Khabarovsk, foi detido na quinta-feira e será mantido em prisão preventiva até setembro.

É suspeito de ter organizado o assassínio de vários empresários há 15 anos, acusações estas que rejeita.

De acordo com a agência TASS, várias centenas de pessoas marcharam hoje no centro de Khabarovsk, incluindo em frente à sede da administração regional.

A filial local do movimento ligado ao principal adversário do Kremlin, Alexei Navalny, estimou o seu número em cerca de 2.000.

No sábado, entre 10.000 e 40.000 pessoas manifestaram-se em Khabarovsk em apoio a Sergei Furgal, naquela que foi uma das maiores ações de protesto alguma vez organizadas na região, com os manifestantes a entoarem ‘slogans’ contra o Presidente Vladimir Putin.

Hoje, a administração regional lamentou os “‘slogans’ provocatórios” e, numa mensagem divulgada pelo Instagram, deixou um apelo: “Mantenha o bom senso! Recordamos que todas as reuniões são atualmente proibidas,” para lutar contra o novo coronavírus.

Antigo médico, empresário e membro do Parlamento russo, Serguei Furgal foi inesperadamente eleito governador da região de Khabarovsk em 2018, com quase 70% dos votos, destituindo o candidato da Rússia Unida, o partido de Vladimir Putin.

O seu partido, a formação nacionalista LDPR (Partido Democrata Liberal Nacionalista), é por vezes crítico em relação ao poder na Rússia, mas no geral apoia Vladimir Putin, particularmente as recentes revisões constitucionais que lhe permitiram reforçar o seu poder.