Um sismo de intensidade 5,2 na escala de Richter, com epicentro no estado venezuelano de Portuguesa (485 quilómetros a sudoeste de Caracas), foi sentido neste domingo em várias cidades da Venezuela, inclusive na capital.

O sismo, segundo a Fundação Venezuelana de Investigações Sismológicas (Funvisis), ocorreu às 11:08 horas locais (16:08 em Lisboa), a 11 quilómetros a norte da localidade de Biscucuy e a uma profundidade de cinco quilómetros.

Vários portugueses e lusodescendentes disseram telefonicamente à agência Lusa que, além de Guanare (capital do estado de Portuguesa), o sismo foi sentido nas cidades de Barquisimeto (vizinho estado de Lara), em Valência (estado de Carabobo), Maracay (estado de Arágua), em várias localidades de Miranda e no Distrito Capital.

De momento não há informação de danos pessoais ou materiais.

“Estava a ver um filme pela Internet, na televisão, quando o sofá vibrou. Como era [um filme] de suspense, pensei que alguém tentava assustar-me, mas olhei rapidamente e não vi ninguém”, explicou um lusodescendente à agência Lusa.

José Francis Soares disse ainda que ficou assustado e que “foi muito rápido, alguns segundos”, mas que se preparou para abandonar o 6.º andar do edifício onde vive em El Paraíso (oeste de Caracas), em caso de se registarem réplicas.

Em Caracas, o sismo foi também sentido noutras localidades, entre elas San Bernardino e Los Palos Grandes, no centro e leste da capital, respetivamente.

Segundo a Funvisis, este é o sexto sismo sentido na Venezuela desde sexta-feira, dia em que a terra tremeu a nordeste de Socopó (2,6 na escala de Richter, a 15 quilómetros de profundidade), a sudoeste do país e a norte da cidade de Valência (também com 2,7 de intensidade e a 15 quilómetros de profundidade), no centro do território venezuelano.

No sábado a terra tremeu em Guiria (3,7, a 24,8 quilómetros de profundidade), a sudoeste e a sul de Capatarida (3,6, a 22,5 quilómetros de profundidade), todas estas no estado venezuelano de Zúlia, no oeste do país.