O partido Livre lamentou esta segunda-feira a reeleição do Presidente polaco, Andrzej Duda, considerando que esta vitória significa “mais cinco anos de retrocesso” e instando o governo português a manifestar-se contra “o atropelo pelos Direitos Humanos” no país.

Em comunicado, o partido da papoila argumenta que “as posições e campanha de Duda evidenciaram o atropelo dos Direitos Humanos, do Estado de direito e constantes ataques às liberdades dos cidadãos polacos”, considerando que “o clima de perseguição a várias minorias polacas, como os cidadãos LGBTQI+, não pode continuar a passar impune ao nível europeu”.

O Livre instou o governo português a interceder ao nível do Conselho Europeu, no sentido de dar seguimento ao artigo 7º do Tratado da União Europeia, “que define a suspensão de direitos de um estado europeu em caso de violação das matérias de liberdade, estado de direito, democracia e respeito pelos Direitos Humanos”, pode ler-se no comunicado.

O partido mostrou-se esperançoso quanto a eleições futuras, salientando “o voto dos jovens polacos nos candidatos democráticos nestas eleições” e acrescentou que continuará solidário “com as forças progressistas e democráticas polacas que mantêm uma luta desigual na luta pela democracia, liberdade e igualdade”.

Andrzej Duda foi reeleito no domingo para novo um mandato de cinco anos como Presidente da Polónia. Apoiado pelo Partido da Lei e da Justiça, no poder, Duda defendeu os “valores tradicionais” durante a campanha eleitoral, num país fortemente marcado pelo catolicismo.