O governador de São Paulo disse nesta segunda-feira que os agentes que puseram o pé em cima do pescoço de uma mulher negra serão afastados. A decisão surge depois de um vídeo divulgado no domingo pelo Fantástico que mostra um momento de violência em que uma mulher é agredida por um polícia militar do estado brasileiro de São Paulo, chegando a pisar-lhe o pescoço. O caso aconteceu a 30 de maio, mas as imagens só foram agora divulgadas.

Na tarde de sábado, dia 30 de maio, a polícia militar foi chamada a Parelheiros, em São Paulo, por causa de um cliente de um bar, que estaria a perturbar a vizinhança com a música alta do seu carro. No vídeo divulgado este domingo, é possível ver a polícia a deter o homem e mais tarde a imobilizar a mulher, dona do bar, que teria saído em defesa do amigo pois, segundo esta, estaria a desfalecer —incidente que não foi filmado e que aconteceu imediatamente antes.

As imagens, captadas por moradores, mostram a mulher negra, de 51 anos, deitada no chão, de bruços, enquanto o polícia pisa o pescoço desta, chegando mesmo a levantar o outro pé para colocar todo o peso do seu corpo sobre a mulher. A vítima foi atendida num hospital com ferimentos no rosto, nas costas e com uma perna partida depois do acontecimento.

Esta segunda-feira, o governador de São Paulo recorreu às redes sociais para indicar que os agentes envolvidos no caso foram “afastados” e responderão a um inquérito.

Estas imagens adquiriram muita repercussão nas redes sociais, onde os internautas as têm partilhado em comparação ao caso do norte-americano George Floyd.

“Não consigo respirar”. Morte de afroamericano pela polícia reacende protestos nos EUA