Entre desempregados e trabalhadores em layoff, metade da população ativa da Região Autónoma da Madeira está, neste momento, em casa. Os números são da Secretaria Regional de Inclusão Social e Cidadania (SRIC). O turismo é o setor mais afetado.

Os dados são avançados na edição desta terça-feira do jornal Público (acesso reservado a assinantes) que cita o Governo regional a garantir estar atento à situação. A secretária regional Augusta Aguiar garante que “o governo regional está a acompanhar, em permanência, a evolução da situação das empresas e dos trabalhadores, e tem vindo a adaptar as medidas conforme necessário”.

As contas desta paragem de metade da Região Autónoma fazem-se de forma simples, segundo o jornal: numa população ativa de 135 mil pessoas, 43.699 trabalhadores estão em layoff , com 3375 empresas a recorrerem ao regime de layoff simplificado criado pelo Governo na resposta às consequências do confinamento para as empresas; no final de maio o número de desempregados no arquipélago ascendia aos 17.465 inscritos no Centro de Emprego. Resultado: quase 45% da população parada.

O Governo regional assume ao jornal que o Turismo é o setor mais afetado, dada a “importância que assume na economia regional”..

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR