O Museu Coleção Berardo, em Lisboa, inaugura na quarta-feira uma nova apresentação da coleção permanente dedicada à arte moderna, com 350 obras, algumas delas exibidas ao público pela primeira vez.

“Coleção Berardo do Primeiro Modernismo às Novas Vanguardas do Século XX” é o título desta nova exposição da coleção, que é inaugurada às 10:00, com entrada gratuita.

De acordo com o museu, foram reunidas obras significativas que marcaram a História da Arte do século XX, de Pablo Picasso, Amedeo Modigliani, Amadeo Souza-Cardoso, Marcel Duchamp, Man Ray e Francis Picabia, entre outros.

Também estarão representados os artistas Kazimir Malevich, Piet Mondrian, Josef Albers, Fernand Léger, Salvador Dalí, René Magritte, Louise Bourgeois, Francis Bacon, Jackson Pollock, Maria Helena Vieira da Silva e Lucio Fontana.

Foram escolhidos artistas que atravessam todo o século XX, que desenvolveram as pesquisas das primeiras vanguardas e que transformaram a abstração na linguagem de uma nova ordem mundial.

Também estarão representados no novo percurso os artistas que, num quadro de próspero desenvolvimento económico no ocidente, marcado pelo consumo e cultura de massas, se inspiraram no gesto de Marcel Duchamp e no readymade, testemunhando a nova realidade urbana através das suas obras.

O percurso começa com obras do início do século XX e com a sucessão das chamadas vanguardas históricas que moldam a história de arte de então: o cubismo, o construtivismo, o dadaísmo, o neoplasticismo, a ‘Abstraction-Création’ e o surrealismo.

No pós-guerra, a par de um regresso à figuração, coabitam informalismos, abstrações, arte cinética, espacialismo, neodadaísmo, descolagismo, Nouveau Réalisme e pop art, que testemunham a tensão entre as tendências da abstração e da figuração.

Há testemunhos do Zero Gruppe, da Alemanha, que estabelece o seu próprio fim em plena década de 60, há testemunhos de Yves Klein, David Hockney, Andy Warhol, Roy Lichtenstein, Donald Judd, Bruce Nauman, Richard Serra, Dan Flavin, Carl Andre, Larry Bell, Gerhard Richter, Julião Sarmento e John Baldessari, todos presentes na exposição, através das suas obras.

No mesmo dia, o Museu Berardo inaugura uma nova leitura da Coleção, através do projeto “Constelações III: uma coreografia de gestos mínimos”.

No dia da inauguração o museu realiza três visitas guiadas, gratuitas ao público, pelos curadores Ana Rito e Hugo Barata, e com transmissão em live streaming, na quinta-feira, às 21h30.

O museu tem entrada gratuita até ao dia 31 de julho.