Cerca de 20% das empresas cabo-verdianas suspenderam a sua atividade no primeiro trimestre devido à pandemia de Covid-19, que afetou sobretudo o setor do Turismo, em que 83% encerram temporariamente, segundo um estudo divulgado esta terça-feira.

De acordo com o inquérito rápido às empresas para avaliar os impactos da Covid-19 no arquipélago, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), 20% das empresas suspenderam a sua atividade durante o primeiro trimestre e 80% mantiveram-se em atividade “mesmo que de forma parcial”.

“O turismo foi o setor mais afetado pela pandemia da Covid-19 em Cabo Verde”, refere o estudo, apontando que 83% das empresas encerraram temporariamente. Desde 19 de março que Cabo Verde está encerrado a voos internacionais, para conter a transmissão da pandemia, suspensão decidida pelo Governo cabo-verdiano e que deverá manter-se pelo menos até agosto.

O comércio foi o segundo setor mais afetado, com o encerramento temporário de 16,7% dos estabelecimentos.

O estudo aponta ainda que 68% das empresas inquiridas “afirmaram que houve redução no seu volume de negócios” devido à pandemia da Covid-19: “A redução ou falta de encomendas/clientes e as restrições impostas foram apontadas como as principais causas do forte impacto no volume de negócios no primeiro trimestre”.

Das empresas que assumiram ter registado aumento do volume de negócios, “40% estimaram que esse acréscimo se situou entre 51 e 75%”.

O primeiro caso de Covid-19 no arquipélago foi diagnosticado na ilha da Boa Vista, em 19 de março, e dez dias depois o Presidente da República decretou o estado de emergência, o que obrigou ao encerramento generalizado das empresas, de forma diferenciada por ilhas, durante dois meses.

Este estudo do INE reflete assim as consequências na atividade económica no primeiro mês (março) da pandemia da Covid-19, em que 85% das empresas responderam que não tiveram necessidade de recorrer ao crédito bancário para pagar salários ou outras obrigações, naquele período.

Das empresas que tiveram tal necessidade, 37,5% afirmaram ter beneficiado do crédito em condições mais favoráveis comparativamente a pedidos anteriores”, segundo o INE.

“As empresas, na sua maioria, apontaram como medidas para fazer face a crise, o recurso a benefícios concedidos pelo governo. Realça-se, ainda, que cerca de 14% das empresas pretendem diversificar a produção/atividade como forma de combater a crise provocada pela pandemia”, aponta o estudo.

Ainda assim, cerca de 48% das empresas entrevistadas “asseguraram que a pandemia não teve impacto na redução no número de pessoal ao serviço” no primeiro trimestre de 2020, enquanto aproximadamente 43% tiveram opinião contraria.

Cabo Verde regista um acumulado de 1.722 casos de Covid-19 diagnosticados desde 19 de março, com 19 óbitos, mas 772 já foram considerados recuperados.