Nove anos para ela e cinco anos e oito meses de prisão para ele. Daniella Neto e Jaime Moreira, o casal que ao longo de oito anos vendeu quatro filhos bebés a três casais por mais de 100 mil euros, foi considerado culpado pelo Tribunal de São João Novo, no Porto, avança o Correio da Manhã.

Segundo aquele jornal, durante a leitura do acórdão, o juiz presidente Pedro Brito afirmou que o casal tratou os recém-nascidos “como se fossem objetos, como se fossem uma mera transação comercial”. Para além disso, pesou na sentença o facto de que a intenção de vender as crianças era anterior ao nascimento. A conduta dos arguidos teve “elevada ilicitude”, defendeu o juiz presidente, considerando que as penas teriam de ser “pesadas”.

Quatro bebés por 100 mil euros. Casal acusado de vender os filhos vai conhecer a sentença, mas compradores continuam a ser investigados

As suspeitas foram levantadas no final de 2017 por um vizinho do casal ao aperceber-se de que o número de filhos de Daniella era muito menor do que o número de gravidezes. Depois de a denúncia anónima chegar à Diretoria do Norte da PJ, apurou-se que a mulher tinha apenas três filhos a viver consigo, embora fossem conhecidas sete gravidezes.

Esta quarta-feira, Jaime — um homem de 46 anos de Vila do Conde — foi julgado em conjunto a mulher de 42 anos com quem mantinha uma relação extraconjugal. Responderam por quatro crimes de tráfico de pessoas cada um, aos quais Daniella somou quatro crimes de falsificação de documentos.

Como uma denúncia anónima levou a PJ a deter um casal que vendia os filhos por 20 mil euros

Os casais que compraram as crianças ainda estão a ser investigados.