A visita à Tunísia do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, prevista para quinta e sexta-feira, foi adiada, anunciou esta quarta-feira o gabinete do governante, justificando com a situação política naquele país.

Considerando os recentes desenvolvimentos políticos em curso na Tunísia, a visita do Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros já não se realizará ao contrário do previsto, nos dias 16 e 17 de julho”, lê-se numa nota enviada à comunicação social.

No documento, indica-se que “depois de contacto entre os dois ministros dos Negócios Estrangeiros a visita foi adiada, mas não cancelada”.

A nova data será definida pelas partes “logo que possível”, acrescenta-se no documento.

O programa da visita contemplava encontros consagrados às relações políticas, económicas, sociais e culturais.

A Tunísia, palco da primeira “primavera árabe” e considerada um modelo de transição democrática, atravessa atualmente uma crise política.

O chefe do Governo tunisino, Elyes Fakhfakh, apresentou esta quarta-feira a demissão, após um contencioso com o partido de inspiração islamita Ennahdha, indicaram fontes oficias sob anonimato citadas pela agência noticiosa AFP e uma rádio local.