A companhia aérea francesa Air France obteve esta quinta-feira autorização para iniciar uma segunda ligação aérea com frequência semanal entre Paris e Xangai, a “capital” financeira da China, informou a embaixada francesa em Pequim.

A autorização surge após o governo francês ter exercido forte pressão ao limitar os voos das companhias aéreas chinesas, por questões de reciprocidade em relação à Air France. A China reduziu drasticamente o número de ligações aéreas com o exterior, no final de março, à medida que o surto se alastrou pelo mundo.  A partir de 8 de junho, porém, Pequim autorizou várias empresas estrangeiras, incluindo a Air France, a realizar uma ligação aérea por semana de e para o país.

Como a China tem três grandes empresas que realizam voos internacionais – Air China, Eastern China e Southern China – conseguiu no conjunto realizar três ligações aéreas China – França por semana.

A França deseja obter os mesmos direitos para a Air France, ou seja, três ligações semanais com o país asiático, e não apenas um, como era o caso até agora.

Em comunicado de imprensa publicado na quinta-feira, a embaixada francesa na China “congratula-se com a autorização concedida à Air France-KLM para operar a partir da próxima semana uma segunda ligação semanal entre Paris e Xangai”. A mesma fonte evoca ainda “uma primeira ligação semanal entre Amesterdão e Xangai”, pela Air France.

O anúncio acontece no dia seguinte a uma conversa por telefone entre Wang Yi, o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, e Emmanuel Bonne, assessor diplomático do Presidente francês, Emmanuel Macron.

“Durante o diálogo, os dois lados chegaram a um acordo sobre a retomada o mais rapidamente possível dos voos regulares entre China e França”, avançou a agência noticiosa oficial Xinhua.