O excedente do comércio externo de bens da zona euro recuou em maio para os 9,4 mil milhões de euros, face aos 20,7 mil milhões de euros homólogos, ainda devido ao impacto da Covid-19, segundo o Eurostat.

De acordo com dados divulgados esta quinta-feira pelo gabinete estatístico europeu, em maio, o excedente do comércio internacional de bens caiu para os 9,4 mil milhões de euros, valor que se compara com os 20,7 mil milhões do mês homólogo, apesar de as medidas de confinamento ligadas à pandemia da Covid-19 terem começado a ser levantadas nesse mês.

Na zona euro, as exportações de bens para o resto do mundo tiveram, em maio, uma quebra homóloga de 29,5% para os 143,3 mil milhões de euros e as importações recuaram 26,7% para os 133,9 mil milhões de euros.

Na União Europeia (UE), o excedente da balança comercial externa de bens fixou-se nos 7,1 mil milhões de euros, menos de metade dos 18,6 mil milhões de euros contabilizados no mesmo mês de 2019. As exportações de bens totalizaram os 129,8 mil ME, um recuo homólogo de 29,7%, e as importações chegaram aos 122,6 mil milhões, menos 26,2% do que em maio de 2019.

O comércio entre os 19 países da moeda única estabeleceu-se nos 125,3 mil ME, tendo recuado 27,9% face a maio de 2019 e as compras e vendas de bens entre os 27 Estados-membros da UE diminuíram 27,3%, para os 195,7 mil milhões.