Angola registou mais uma morte devido à Covid-19, elevando para 29 o número de óbitos, além de mais 31 infeções, totalizando 638 casos positivos, anunciou esta sexta-feira o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Franco Mufinda indicou que os 31 novos casos, todos diagnosticados em Luanda, são relativos a 17 pessoas de sexo feminino e 14 de sexo masculino, com idades entre 10 meses e 73 anos.

Quanto ao óbito, registou-se na Clínica da Sagrada Esperança, onde um homem que estava internado há cinco dias teve um agravamento do seu estado de saúde e acabou por morrer esta sexta-feira.

Foram também recuperadas 75 pessoas que estavam internadas nos centros de tratamento, fruto da nossa abordagem, que a comissão passou a implementar”, afirmou ainda o secretário de Estado, sem explicar o que mudou na abordagem das autoridades sanitárias.

Angola regista assim 638 casos de Covid-19, dos quais 29 óbitos, 199 recuperados e 410 ativos.

Até à data foram recebidas 50.867 amostras para a testagem molecular (RT-PCR), das quais 638 revelaram-se positivas, 41.683 negativas e as restantes cerca de 8 mil estão em processamento.

A nível nacional, fizeram-se também 19.562 testes serológicos, dos quais 888 foram reativos, ou seja, 4,6 pessoas em cada 100, tiveram reação que indica que estiveram expostas ao vírus.

Em Luanda, 2.693 pessoas submeteram-se aos testes rápidos, das quais 179 foram reativas, o que significa que pouco mais de 6 em cada 100 estiveram expostas a vírus e desenvolveram anticorpos ou encontram-se numa fase ativa da doença.

Foram também testados 1.853 camionistas na capital angolana, dos quais 126 reativos, incluindo 50 pessoas cujos resultados levaram ao isolamento e que vão passar por um segundo exame de confirmação na base de biologia molecular.

Os camionistas e qualquer outra pessoas que pretenda entrar ou sair da província de Luanda, que está sob cerca sanitária até 9 de agosto, são obrigados a apresentar um teste negativo à Covid-19.